Pages

Vacina Subscribe Twitter

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Via de Administração Intramuscular

Compartilhar
Via Intramuscular (IM)
Na utilização desta via, a solução é introduzida dentro do corpo muscular.
A via intramuscular é utilizada para a administração de volumes superiores a 1,5ml de soluções irritantes (aquosas ou oleosas) que necessitam ser absorvidas rapidamente e também quando é necessário obter efeitos mais imediatos.
O local apropriado para a aplicação da injeção IM é crucial para uma administração segura. Na seleção do local deve-se considerar: distância em relação a vasos e nervos importantes; musculatura suficientemente grande para absorver o medicamento; espessura do tecido adiposo; idade do paciente; irritabilidade da droga e atividade do paciente.
Os locais selecionados devem estar distantes dos grandes nervos e vasos sangüíneos. Os mais utilizados são:
-  dorso glúteo ou músculo grande glúteo, no quadrante superior externo
-  músculo vasto lateral da coxa, no terço médio da coxa, medido entre o joelho e o trocanter maior.
-  músculo deltóide, região deltóide no terço superior e face externa do braço
Existem vários estudos sobre a utilização de injeções parenterais, intramusculares. A seguir, estão agrupadas algumas considerações acerca de cada uma das regiões.
-  Região deltóide: nesta região existe o músculo deltóide, o mais importante da cintura
escapular. É uma região de grande sensibilidade local e possui pequena massa muscular.
Serve para aplicação de pequena quantidade de solução (1 a 3ml), não podendo, por isso, ser utilizada para injeções consecutivas e substâncias irritantes. È contra-indicada para crianças de zero a dois anos.
Para a localização da punção deve-se traçar um retângulo na região lateral do braço, iniciando na extremidade mais inferior do acrômio, respeitando a distância de 3 - 5 cm abaixo do acrômio, e terminando no ponto oposto à axila, a 3 - 3,5cm acima da margem inferior do deltóide. Localizar a punção neste retângulo.
-  Região dorso-glútea: devido à sua extensão, a região dorso-glútea tem sido comumente utilizada, mas esta preferência tradicional tem bem menos justificativas do que se supõe comumente, como se pode concluir pelas desvantagens a seguir detalhadas.
A grande variabilidade na espessura do tecido subcutâneo dificulta o acesso à profundidade da massa muscular glútea; e a sua grande vascularização e inervação possibilitam lesões de vários nervos, sendo uma das suas mais sérias complicações o envolvimento do nervo ciático.
É justamente esta possibilidade que faz com que todos os autores que indicam a utilização desta região alertem para que se tomem precauções contra esta complicação, tal como a aplicação no ângulo externo do quadrante superior externo da região glútea. Ou seja, não utilizar o seu ângulo interno, uma vez que, em alguns indivíduos, o nervo ciático é encontrado ainda nessa área.
A região dorso-glútea não é indicada para ser usada em crianças menores de dois anos, uma vez que a área é relativamente pequena nesta faixa etária e a espessura da camada formada por subcutâneo e musculatura é tal que, mesmo que a agulha seja introduzida no quadrante superior externo, existe grande possibilidade de se atingir a região peri ou endociática.
O fato do pequeno cliente estar inquieto ou até esperneando aumenta a probabilidade de uma angulação inadequada da agulha, aumentando o risco de lesão neural.
A contra-indicação também deve-se a que, nesta idade, a região DG é composta primariamente de tecido adiposo e há somente um pequeno volume de massa muscular, que só se desenvolve posteriormente com a locomoção, devendo por isso ser usada apenas quando a criança já anda há um ano ou mais (geralmente
a partir da idade de 2 - 3 anos, portanto).
Como o bebê é incapaz de relatar qualquer sintoma e a criança pequena tem dificuldade em concretizar o tipo de dor, o diagnóstico da lesão é retardado, com conseqüente impossibilidade de um reconhecimento precoce do trauma neural e instituição de medidas para prevenir ou minimizar contraturas antes que o desequilíbrio muscular produza deformidades fixas.
Estudos sobre a circulação sangüínea demonstram que os músculos glúteos proporcionam a mais lenta absorção de medicamentos e, conseqüentemente, o mais baixo nível sérico de todas as regiões de aplicação de injeção IM.
A localização sugerida como mais segura é a que utiliza fronteiras anatômicas definidas (espinha ilíaca póstero-superior e grande trocanter) e cuja linha de conexão fica paralela e lateral ao trajeto do nervo ciático. Qualquer injeção aplicada no quadrante superior externo delimitado dessa forma terá grande probalidade de se afastar do curso do nervo ciático.
-  Região da face ântero-lateral da coxa: o músculo vasto lateral é o maior dos componentes do músculo quadríceps femural, na face ântero-lateral da coxa. A utilização desta região foi recomendada, já em 1920, em vista das contra-indicações às regiões dorso-glútea e deltóide.
Diversos outros autores indicam esta região, apontando-a como livre de vasos ou nervos importantes e de fácil acesso, tanto para o profissional como para o próprio cliente que dela poderá utilizar-se sozinho (auto-aplicação). É uma região facilmente exposta e proporciona melhor controle de pacientes agitados ou crianças chorosas. Por estarem os músculos desta região melhor desenvolvidos, desde o nascimento, e afastados de nervos importantes, alguns autores a indicam especialmente para crianças.
 Materiais Indicados:
-  a seringa varia conforme o volume a ser injetado (entre 1,0 e 2,0ml);
-  comprimento e calibre da agulha variam de acordo com a solubilidade do líquido a ser injetado (entre 20 e 40mm); o bisel da agulha deve ser longo, para facilitar a introdução (entre 5,5 e 9mm), e espessura entre 5,5 e 7dcmm - dimensões: 20x5,5; 20x6; 25x6; 25x7; 30x7.
 Procedimentos para Administração:
-  lavar as mãos;
-  fazer a limpeza da pele, caso necessário (com álcool a 70% ou água e sabão);
-  esticar a pele com os dedos indicador e polegar, mantendo o músculo firme;
-  introduzir a agulha na região lateral da coxa, com angulação levemente oblíqua ao eixo longitudinal da perna em direção podálica;
-  aspirar, observando se não atingiu algum vaso sangüíneo; caso isso aconteça, retirar a
agulha e preparar outra dose de vacina;
-  injetar o líquido lentamente;
-  retirar a seringa com a agulha, com movimento único e firme;
-  fazer leve compressão no local com algodão seco;
-  lavar as mãos.
Observar possíveis reações imediatas (local).

9 comentários:

Anônimo disse...

Tenho uma duvida muito grande pode fazer injecçao no gluteo de criança menor de dois anos? EXISTE ALGUMA LEI QUE POSSA TER CONHECIMENTO.maridalva amorim resposta no email maryma@ig.com.br

Anônimo disse...

recentemente apliquei uma getamicina em uma mulher no gluteo e informei a ela que caso vinhess doer fizess uma compressa mas ela nao fez e ficou com o local dolorido q nem pode tocar e eu confesso q fiquei preocupado que ela nao ta nem andando direito devido a dor ,mas me informaram que é normal ficar o local com dor e duro e o q me mandaram fazer foi dar apenas compressa com agua gelada, me responda no meu email por favor eu estou preocupado se peguei o nervo ciatico me resp pro jandersonmelo1@hotmail.com

Anônimo disse...

se o musculo vasto lateral da coxa é tão recomendado; por que na escola,os professores não comentam sobre isso? eles basicamente só dizem os locais e mls que se deve administrar.

Durante o estágio só nos ensinam aplicar na regiaõ glutea.
Me responde uma coisa: se o musculo vasto lateral é grande e livre de nervos ... porquê ele não suporta 5 ml.

kelly disse...

pork e justamente perto do nerva aciatico que temos que aplicar injeçoes nao poderia ser em outro lugar que nao tivesse esse nervo tao perigoso..............................aux de enfermgm ...kelly

Anônimo disse...

tenho duvida na aplicação intramuscular com soluções coloridas como as de corticóide indicadas para dor na coluna o liquido é da cor do sangue como saber se não peguei um vaso..

Anônimo disse...

O que fazer se a via de administração de uma vacina por trocada IM e SC?

Anônimo disse...

Olá! Sou fisioterapeuta. Recebi a vacina da gripe 5 dedos após a espinha ilíaca antero superior (pro sentido posterior do tronco)na mesma linha da espinha, achei q poderia ter sido mais posterior...doeu muito! Haverá algum problema?
Poderias responder para o meu e-mail? lucimar_goncalves@yahoo.com.br

janete disse...

sou estudante de enfermagem e me preocupo muito com as vias de medicações IM e endo venosa .As medicações IM estão me causando muita dor de cabeça por exemplo o diclofenaco é aplicado no glúteo o pode acontecer se por acaso for injetado no deltoide?????
SE VOCÊ SOUBER RESPONDER ME MANDE UM E-MAIL MEU ENDEREÇO É Jannettesantos@g-mail.com .
Abração to indo... tchau..!!!

janete disse...

Perdão meu e-mail é jannettesantos48@g-mail.com...

Postar um comentário